55 11 5571.2525
OK

  • Home > 
  • Escolha o seu Roteiro > 
  • Ásia e Extremo Oriente > 
  • Butão > 
  • Pacotes de viagens para Butão com especialistas > 

Pacotes de viagens para Butão com especialistas

Butão, este entre a China e a Índia, encravado na Cordilheira do Himalaia e praticamente escondido do mundo.

Sua população de 750.000 habitantes vive em completa harmonia com a natureza e possui uma identidade singular, derivada de um rico patrimônio religioso e cultural.

O analfabetismo não existe e toda a população tem acesso a saúde, não importa onde viva, nas altas montanhas de mais de 4.000m ou nas cidades, como a capital Thimphu. A beleza natural das florestas, montanhas e rios são emolduradas por monastérios e templos, onde religião e cultura se mostram uma só coisa. O budismo tibetano é a principal religião do Butão e ao longo dos passeios sempre veremos rodas e bandeirolas de oração encantando e espalhando as preces individuais e coletivas por todos os lados.

onde fica


Visualizar Cia Eco - Viagens de Experiência em um mapa maior

Saídas regulares

Butão - 6 dias

Paro, Punakha, Thimpu
Saídas diárias até dezembro de 2017
Desconto de 10% para pagamento até dia 31/03/17
Valor a partir de
US$ 3.170,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2017

Butão - Himalayan Explorer - 6 dias

Thimphu, Punakha, Paro
Saídas diárias até dezembro de 2017
Valor a partir de
US$ 3.537,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2017

Butão - Hotéis Amankora - 8 dias

Paro, Punakha, Thimphu
Saídas diárias até março de 2018
Valor a partir de
US$ 7.433,00 parte terrestre
Validade: março de 2018

Trekking Jhomolhari - 12 dias

Kathmandu, Thimpu, Paro, Shana, Soi Thangthangkha, Jangothang, Dumzo, Thomgbushong, Gunitsawa
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe

Destinos conjugados

Butão e Nepal - 13 dias

Kathmandu, Thimphu, Punakha, Paro
Saídas diárias até dezembro de 2017
Guias em espanhol e inglês
Valor a partir de
US$ 3.440,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2017

Índia, Nepal e Butão - Privativo - 20 dias

Kathmandu, Thimphu, Punaka, Paro, Delhi, Jaipur, Fatephur Sikri, Agra, Jhansi, Khajuraho, Varanasi
Saídas diárias até setembro de 2017
Guias em espanhol e inglês
Valor a partir de
US$ 6.024,00  parte terrestre
Validade: setembro de 2017

Viagem em grupo

Índia, Nepal e Butão - 15 dias

Agra, Jaipur, Delhi, Kathmandu, Paro, Thimphu, Punakha
Saída especial: 21/09/17
Guia brasileiro
Valor a partir de
US$ 5.498,00 parte terrestre
Validade: setembro de 2017

Butão e extremo sul do Himalaia - 17 dias

Delhi, Thimpu, Punakha, Paro, Kathmandu
Saída especial: 05/10/17
Guia brasileiro
Valor a partir de
US$ 6,290.00 parte terrestre
Validade: outubro de 2017

Tibet e Butão - 19 dias

Lhasa, Gyantse, Shygatse, Xegar, Rongbuk (com Everest Base Camp), Kyrong, Kathmandu, Paro, Thimphu, Punakha, Bumthang
 
Consulte valores com nossa equipe
*Os preços nessa página – a partir de – estão listados em reais, dólares americanos ou euros (conforme especificação).
A taxa sobre transações/remessas internacionais (IRRF) não está inclusa no valor dos pacotes.
A tabela completa com todos os valores, de acordo com o período da viagem, encontra-se disponível em cada roteiro. Clique no título para visualizar todas as informações.
Os preços estão sujeitos à alterações sem aviso prévio. Consulte tarifas especiais para os feriados e datas comemorativas.


Principais Atrações

.: Região Oeste :.

Thimphu: localizada no coração do Himalaia, a capital de Butão possui apenas 50.000 habitantes e é uma das mais rústicas do mundo por não ter aderido às novas tecnologias. A cidade é planejada, de modo que todas as novas construções devem obedecer a padrões de construção em estilo butanês. Por ordem do rei, sinais de trânsito são proibidos e apenas alguns poucos carros circulam no centro da cidade. A cidade é excelente para passear, fazer compras e comer em bons restaurantes. Entre os produtos ofertados, estão máscaras butanesas, incenso, facas feitas à mão e joalheria. Alguns locais interessantes para visitar são: o Memorial Chorten, construído em homenagem ao terceiro rei de Butão; a feira de artesanato, a escola de pintura thangka e a Biblioteca Nacional, com o melhor acervo de escritos budistas, literatura histórica e religiosa do Himalaia. Visite ainda nas proximidades de Thimphu:

Tashichho Dzong:
localizado nas margens do Rio Wangchu, é um monumento erigido para abrigar a Assembléia Nacional e a casa de veraneio da comunidade monástica da capital. O palácio, onde fica o trono do rei, está voltado para o rio, ao sul, e, ao norte, para a cidade de Thimphu. A entrada de estrangeiros só é permitida durante o festival anual.

Simtokha Dzong:
localizado a seis quilômetros dos limites da cidade de Thimphu, é o mais antigo monastério-fortaleza do reino, que hoje abriga uma escola de estudos budistas. De lá, são 20 Km até a Passagem Dochula, uma das vistas mais lindas do Himalaia.

Paro: é o nome de um distrito, vale, rio e da segunda maior cidade butanesa (20.000 habitantes). As viagens pelo país partem de lá geralmente, pois é onde se encontra o único aeroporto ativo do país. Rodeada de florestas, cachoeiras e ar fresco, essa pequena cidade é a área mais próxima do Tibet. O seu vale, próximo do aeroporto, tem uma grande importância histórica para os butaneses, hoje é uma das áreas mais povoadas do país, onde estão o monumental Rinpung Dzong, a Torre de Observação do vale e o Museu Nacional, entre vários outros legados da cultura butanesa, que necessitam de alguns dias de atenção para serem apropriadamente conhecidos. Visite ainda em Paro e proximidades:

Rinpung Dzong:
construído em 1646, é também conhecido como Paro Dzong. Dentro de seus muros, ficam os templos, centros de reza, refeitório, biblioteca e escritórios do governo distrital de Paro. A arquitetura é decorada com madeira policromada e esculpida. O torreão central é um excelente trabalho em madeira e inúmeros afrescos decoram as paredes em volta.

Museu Nacional: encontra-se no vale de Paro, logo depois da sua Torre de Observação, o Ta Dzong. Sua coleção, foi montada para preservar e explicar a cultura nacional. É composta de várias seções, como: thangkas (arte sacra), pratas, jóias, estatuária, lajes religiosas gravadas, objetos rituais e instrumentos musicais, armas, objetos e utensílios domésticos, animais extintos embalsamados e selos. Apesar de mal organizada, é uma das melhores formas de se conhecer um pouco da cultura material do país. Há também um magnífico santuário em seu interior.

Taktsang Lhakhang: um dos mosteiros mais sagrados do Himalaia, está cravado em uma imponente falésia de 800 metros, acima do vale de Paro. Diz a lenda que no século VIII o Guru Rimpoche voou do Tibet para Taktsang no dorso de uma tigresa. Lá, teria meditado durante 3 meses em uma caverna e convertido o vale de Paro para o budismo tântrico. O local onde o fato teria acontecido se chama Milarepa, e atrai muitos religiosos. É proibida a entrada de estrangeiros, mas a subida até seu topo é permitida.

.: Região Central :.

Punakha: capital butanesa até 1955, serve hoje como casa para o corpo de monges e para o líder espiritual da nação durante os meses de inverno. Possui um dos vales mais férteis do Butão, devido a seu clima. O Chime Lakhang, um templo em meio a campos de arroz, é ponto de peregrinação de casais que não teem e querem ter filhos.

Wangdi:
é a última cidade da estrada antes que ela entre pela região central do Butão. Pequena, abriga lojas e hotéis. É entreposto para se chegar até Trongsa Dzong. A estrada que leva até lá é uma das mais belas do Butão, cercada de florestas e vilarejos, antes da subida até a Passagem Pelela, no vale de Trongsa.

Trongsa:
foi palácio dos dois primeiros reis de Butão, que de lá governavam o país e é considerada a cidade mais charmosa entre as cidades butanesas. O príncipe do país primeiro assume o posto em Trongsa, para depois assumir o reinado em Thimphur. O interior dessa fortaleza é um labirinto de corredores, templos e escritórios governamentais.

Bumthang (Jakar): as cidades de Trongsa e Bumthang são separadas por uma passagem (a 3.500 metros de altura). Esta cidade, de profunda religiosidade, pelas lendas que a envolvem, é ponto de partida para se conhecer os vales que a rodeiam e guardam monastérios sagrados, como Jampa e Kurjey. O festival anual que acontece em Bumthang, junto com os realizados em Paro e Thimphu, são os maiores do Butão.

.: Região Sul :.

Phuentsholing:
porta de entrada para o Butão, localizada ao sul, na fronteira com a Índia, essa cidadezinha e popular destino turístico oferece atrações como o Portal de Butão, o Centro de Crocodilos, o Monastério de Karbandi e um Centro Hidrotermal. Para os que chegam do Nepal ou da Índia por terra,  é o principal ponto de acesso ao Butão.

Dicas

Vacina: é obrigatório apresentar o comprovante internacional de vacina contra febre amarela. Além disso, recomenda-se tomar também as vacinas contra Hepatite A (em duas doses, sendo que ao tomar a primeira, a pessoa já estará imune), disponível em clínicas particulares; e contra tétano e febre tifóide, disponíveis nos Hospitais Emílio Ribas, Hospital das Clínicas e Ambulatório de Medicina do Viajante da Vila Clementino. É importante informar que as vacinas devem ser tomadas com antecedência - no caso de febre amarela, até 10 dias antes da viagem - para não ser surpreendido com a falta de alguma delas na ocasião da procura nos hospitais.

- Hospital Emílio Ribas: Av. Dr. Arnaldo, 165. Atendimento de Seg. a Sex., das 12h30 às 15h. Agendar: 55 (11) 3896 1366.
- Hospital das Clínicas: Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255. Atendimento de Seg. a Sex., das 07h30 às 15h.

Importante: Desde o dia 1º de junho de 2008, as vacinas contra febre amarela NÃO são mais aplicadas nos postos da Anvisa em Aeroportos e Portos do Estado de São Paulo. Nestes locais serão realizadas somente trancrições de certificados nacionais para internacionais. Para mais informações e esclarecimento de dúvidas,dirija-se ao posto de saúde mais próximo ou consulte o Ambulatório de Medicina do Viajante: 55 (11) 5084-5005, na Avenida Borges Lagoa, 770. É importante ligar para agendar uma visita.
Em São Paulo, o passageiro pode dirigir-se aos postos localizados nas Rodoviárias do Tietê (aberto diariamente, das 8h às 22h) e Barra Funda (aberto diariamente, das 8h às 20h).


Melhor Época

As melhores épocas para visitar o Butão são entre março e maio e de setembro a novembro. O clima é mais ameno entre esses dois últimos meses, quando o céu está limpo e o picos das montanhas estão visíveis. Esta é a época ideal para o trekking. Durante a alta temporada e também em tempos de festivais Tsechu, é mais difícil conseguir hospedagem e entrada no país. É um país que para ser visitado precisa de um planejamento prévio, em razão da limitação do número de leitos oferecidos e também pela restrição no número de turistas que entram no país.

Cia Eco - Agência de Viagens e Turismo
Rua Sena Madureira, 515 - Vila Mariana
São Paulo/SP - CEP 04021-051
Fone: 55 11 5571.2525 | E-mail: comercial@ciaeco.tur.br
Cadastur: 26.010039.10.0001-7
Acesse nossas redes sociais
Empresa Associada

INTERNACIONAIS


África

África do Sul
Botsuana
Cabo Verde
Etiópia
Madagascar
Marrocos
Moçambique
Namíbia
Quênia
Tanzânia
Tunísia
Uganda e Ruanda
Zâmbia e Zimbábue

África do Norte e Oriente Médio

Egito
Irã
Israel
Jordânia
Líbano
Omã

América Central e Caribe

Anguilla - Caribe
Antígua e Barbuda - Caribe
Aruba - Caribe
Bahamas - Caribe
Barbados - Caribe
Bonaire - Caribe
Costa Rica
Cuba
Curaçao - Caribe
Guatemala
Ilhas Virgens Britânicas - Caribe
Jamaica
Panamá
Porto Rico
República Dominicana
Santa Lucia - Caribe
St Barths - Caribe
St Maarten - Caribe
Turks e Caicos - Caribe

América do Norte

Alasca
Califórnia
Canadá
Havaí
México
Parques Nacionais Americanos
Rota da Música

América do Sul

Amazônia Peruana
Bariloche e Villa La Angostura
Buenos Aires
Colômbia
Cordilheira Blanca
Cuzco e Machu Picchu
Deserto de Atacama e Altiplano
Galápagos
Ilha de Páscoa
Lago Titicaca, Arequipa e Colca
Lagos Andinos
Lima
Mendoza
Nazca, Ica e Paracas
Patagônia Argentina
Patagônia Chilena
Península Valdés
Pucón
Quito, Cuencas e Avenida dos Vulcões
Salar de Uyuni e Altiplano
Salta e Jujuy
San Martín de los Andes
Santiago do Chile
Ski na Argentina
Ski no Chile
Trujillo e Chiclayo
Uruguai
Ushuaia
Venezuela

Antártida

Antártida

Ásia e Extremo Oriente

Bali
Butão
Camboja
Cazaquistão
China
Índia
Indonésia
Japão
Laos
Malásia
Mongólia
Myanmar
Nepal
Rússia
Sri Lanka
Tailândia
Tibet
Uzbequistão
Vietnã

Europa

Alemanha
Armênia
Azerbaijão
Bélgica
Croácia
Escandinávia
Espanha
Finlandia
França
Geórgia
Grécia
Islândia
Itália
Leste Europeu
Portugal
Reino Unido
Suiça
Turquia

Ilhas do Índico

Ilha Mauritius
Ilhas Maldivas
Ilhas Seychelles

Oceania

Austrália
Nova Zelândia

Tahiti e Pacífico Sul

Ilhas Fiji
Tahiti e suas ilhas


NACIONAIS


Centro Oeste


Goiás

Chapada dos Veadeiros

Mato Grosso do Sul

Bonito
Pantanal Sul

Mato Grosso

Alta Floresta
Chapada dos Guimarães
Pantanal Norte
Serra do Roncador


Nordeste


Alagoas

Litoral Alagoano

Bahia

Abrolhos
Chapada Diamantina
Ilha de Boipeba
Itacaré
Morro de São Paulo
Península de Maraú
Praia do Forte
Trancoso e Ponta do Corumbau

Ceará

Jericoacoara
Litoral Cearense

Maranhão

Chapada das Mesas
Lençóis Maranhenses e Rota das Emoções
São Luis

Paraíba

Litoral Paraibano
Vale dos Dinossauros e Sertão da Paraíba

Pernambuco

Fernando de Noronha
Litoral Pernambucano

Piauí

Serra da Capivara

Rio Grande do Norte

Litoral Rio Grande do Norte

Norte

Acre

Acre

Amazonas

Amazônia

Pará

Alter do Chão
Belém
Ilha de Marajó

Roraima

Monte Roraima

Tocantins

Jalapão


Sudeste


Minas Gerais

Estrada Real
Serra da Canastra
Serra do Cipó e Inhotim

Rio de Janeiro

Litoral do Rio de Janeiro

São Paulo

Petar e Eldorado


Sul


Paraná

Foz do Iguaçu
Ilha do Mel e Morretes
Reserva Ecológica do Sebuí

Rio Grande do Sul

Aparados da Serra e Cânions do Sul
Travessia Cassino-Chui

Santa Catarina

Florianópolis e Costa das Esmeraldas
Urubici e Serra Catarinense