EN PT
+55 11 5571-2525

Pacotes de viagens para Belém com especialistas

Santa Maria de Belém do Grão Pará, ou simplesmente Belém, é uma cidade de gente hospitaleira e beleza única. Considerada o portal da Amazônia, destaca-se pela festividade da Procissão do Círio de Nazaré e pelo Mercado Ver-o-peso - reformado recentemente, em que pode-se encontrar artigos típicos, cerâmica, frutas como açaí, comidas regionais e ervas medicinais.

Belém possui muita história, cultura e natureza, que podem ser vistas em suas ilhas - verdadeiros e exuberantes paraísos ecológicos, que circundam a cidade.

Suas cores, cheiros e sabores, podem ser sentidos em cada esquina, nas especialidades da culinária mais típica do Brasil, fruto da natureza pródiga, da colonização portuguesa e das heranças índia e africana.

Saídas regulares

Belém - 4 dias

Mercado Ver-o-peso, Parque Zoobotânico Emílio Goeldi, Mangal das Garças, Comunidades tradicionais
Saídas diárias até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 2.273,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém e Ilha do Marajó - 5 dias

Tour em Belém, Ateliê de Cerâmica, Caminhadas, Passeio Furo Miguelão, Carimbó, Praia do Pesqueiro
Saídas às quartas-feiras até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 3.057,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém e Ilha do Marajó - 7 dias

Belém, Comunidades Tradicionais e Ilha do Marajó
Saídas às quartas-feiras até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 4.285,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Experiência Belém e Ilha de Marajó - 8 dias

Comunidade Tradicional, Carimbó, Furo do Miguelão, Passeio Furo Miguelão e Praia do Pesqueiro
 
Consulte valores com nossa equipe

Destinos conjugados

Lençóis, Belém e Marajó - 10 dias

São Luís, Atins, Belém, Soure
Saídas às sextas-feiras até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 6.351,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém, Ilha do Marajó e Alter do Chão - 10 dias

Belém, Ilha do Marajó,passeio de barco a motor no furo Miguelão, descobrindo a dança do carimbo, Vila de Pescadores, Alter do Chão, Serra da Piroca, Ponta do Cururu, Lago Verde, Ponta de Pedras e do Jarí, Comunidade Jamaragua
Saídas às quartas-feiras até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 5.489,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém, Ilha do Marajó e Alter do Chão - Privativo - 10 dias

Passeios privativos em: Belém, Algodoal, Praias do Farol e da Princesa, Baia dos Botos, Ilha do Algodoal, Serra da Piroca, Ponta do Cururu, Lago Verde, Pontas de Pedras e do Jarí, Comunidade Jamaragua
Saídas diárias até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 6.879,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém, Algodoal, Marajó e Alter - Privativo - 13 dias

Passeios privativos: Belém, Algodoal, Praias do Farol e Princesa, Baia dos Botos, Ilha do Algodoal,Ilha do Marajó, Vila de Pescadores, Serra da Piroca, Ponta do Cururu, Lago Verde, Ponta de Pedras e do Jarí, Comunidade Jamaragua
Saídas aos domingos até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 9.443,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Belém com Ilha do Algodoal - 6 dias

Belém, Praia do Farol, Praia da Princesa, Baia dos Botos e Furo Velho
Consulte novas saídas!
 
Consulte valores com nossa equipe

Lençóis Maranhenses e Amazônia - 8 dias

Barreirinhas e Amazon Ecopark
 
Consulte valores com nossa equipe

Belém, Ilha do Algodoal e Alter do Chão - 10 dias

Amazônia Atlântica e Pólo Tapajós
 
Consulte valores com nossa equipe

Grandes Cenários Amazônicos - 13 dias

Amazon Ecopark Lodge, Juma Amazon Lodge, Mirante do Gaviião ou Anavilhanas Lodge
Saídas às quartas-feiras até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 7.740,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019
*Os preços nessa página – a partir de – estão listados em reais, dólares americanos ou euros (conforme especificação).
A taxa sobre transações/remessas internacionais (IRRF) não está inclusa no valor dos pacotes.
A tabela completa com todos os valores, de acordo com o período da viagem, encontra-se disponível em cada roteiro. Clique no título para visualizar todas as informações.
Os preços estão sujeitos à alterações sem aviso prévio. Consulte tarifas especiais para os feriados e datas comemorativas.


Principais Atrações

Aldeia Cabana de Cultura Amazônica: ousado projeto inspirado nas ocas de grupos indígenas da região. A denominação é uma justa homenagem a um destacado representante da cultura popular de Belém e à Revolução da Cabanagem, em reconhecimento a um dos fatos mais marcantes da história da luta popular paraense contra a opressão. Inaugurada em 1999, a Aldeia Cabana é um espaço para eventos culturais variados, de acesso popular franco. Além do Carnaval e da quadra junina, outros eventos vêm sendo realizados neste espaço que abriga cerca de 10000 espectadores, em 120 camarotes e blocos de arquibancadas.

Basílica de Nazaré
:
construída em 1909, é uma verdadeira obra prima da história recente e pode ser considerada uma das últimas igrejas construídas com exuberância e riqueza. Todos os anos o Círio de Nazaré atrai milhares de fiéis do todo o Brasil para Belém.

Bosque Rodrigues Alves: localizado em plena cidade, o bosque é um grande exemplo de preservação, conservação e manutenção da fauna e flora. Após receber o título de Jardim Botânico, o bosque entrou para a lista por sua variedade de espécies animais e vegetais introduzidas posteriormente. Com mais de 80% de área verde e com estudos fundamentais para a manutenção dessa biodiversidade, o bosque torna-se um passeio imperdível.
Os animais vivem e se desenvolvem com acompanhamento especial, já que existem alguns deles estão em cativeiro e semi-cativeiros enquanto outros em total liberdade.

Catedral de Belém:
(1748-1771) está entre as mais belas do país. As torres, no estilo clássico, foram projetadas pelo italiano Giuseppe Landi.

Círio de Nazaré:
procissão realizada no segundo domingo de outubro, em Belém do Pará, em homenagem a Nossa Senhora de Nazaré. Dizem que, por volta de 1700, nos arredores da cidade de Belém, um lenhador encontrou uma imagem de 30 centímetros de Nossa Senhora de Nazaré. Ele decidiu levá-la para casa. Só que a estátua teria voltado ao local onde tinha sido encontrada. Os paraenses dão ao Círio de Nazaré uma importância equivalente à do Natal. Preparam ceia com pratos típicos (pato no tucupi, maniçoba, tacacá e açaí), trocam presentes, e os trabalhadores costumam ganhar uma gratificação. No dia 25 de dezembro, o Natal também é comemorado. As pessoas têm o costume de desejar "Feliz Círio!".

Estação das Docas:
com uma área de 32 mil metros quadrados em 500 metros de orla fluvial de Belém, figura como um dos melhores espaços de lazer da capital paraense. Você encontra bares, restaurantes, museu, teatro, feira de artesanatos e lojas. Foram restaurados quatro galpões de ferro inglês do antigo porto da capital, em um trabalho minucioso, que preserva o equipamento centenário tombado pelo Patrimônio Histórico e, ao mesmo tempo, o transforma em um dos locais públicos mais confortáveis da cidade.

Icoaraci: distante 25 km de Belém, é o centro da cerâmica marajoara e tapajônica, herdada dos índios que ocuparam a Ilha do Marajó e a região do Tapajós. Durante o passeio é possível conhecer e apreciar todo o processo de produção, bem como adquirir o artesanato.

Ilha dos Papagaios: Com as primeiras luzes do dia, milhares de papagaios levantam vôo, criando um espetáculo inesquecível no apreciar do nascer do sol na verdejante floresta.

Forte do Castelo: marco da fundação de Belém, foi a primeira construção da cidade, em 1616. Foi a base maior das operações de conquista da Amazônia. Os velhos canhões ainda se encontram no local, uma das melhores vistas da Baía do Guajará.  

Mangal das Garças: às margens do Rio Guamá, no entorno do centro histórico de Belém, o projeto para a formação desse parque foi totalmente elaborado em cima das questões ambientais de valorização de preservação da natureza local.
Além da beleza paisagística e suas edificações revelando toda a harmonia em seus ambientes, o convite para os visitantes é muito mais para se conhecer a história do local, redescobrir sua fauna e flora.
As visitas são: viveiro de borboletas e beija-flores, viveiro de pássaros, lagos artificiais e o mirante, exposição e vendas de plantas, artesanatos e um ótimo restaurante e café.

Museu Paraense Emílio Goeldi: com mais de 100 anos de tradição, onde além de espécimens da fauna e variedades da flora Amazônica encontram-se peças genuínas da cerâmica Marajoara e Tapajônica além de artefatos e informações sobre a cultura índigena.

Museu de Arte Sacra: localizado no conjunto arquitetônico da Igreja de Santo Alexandre e o convento dos Jesuítas, prédio restaurado e adaptado para função de museu, considerado um dos mais belos museus de arte sacra do Brasil, por suas peças originárias do espólio dos jesuítas e mais 200 peças adquiridas pelo governo do Estado.

Museu do Estado:
criado em 1994, contem, em seu acervo, inúmeros exemplares de mobília, pintura e artes decorativas dos séculos XIX e XX, sendo o próprio prédio é um exemplar da arquitetura de Landi.

Palacete Bolonha: construído com material importado da Europa no inicio do século XX pelo arquiteto Francisco Bolonha, faz parte de um conjunto arquitetônico que inclui uma vila de casas no mesmo estilo, é um exemplar de requinte daqueles que enriqueceram com o comercio da borracha. Hoje abriga o Museu da Medicina.

Palácio Lauro Sodré: projeto do arquiteto Landi em estilo neoclássico foi inaugurado em 1771, no inicio dos anos 90, foi restaurado e transformado em Museu do Estado, foi considerado o palácio mais ambicioso em tamanho e decoração, construído durante o período colonial brasileiro.

Palácio Antonio Lemos: de estilo neoclássico, é um exemplar da arquitetura da segunda metade do século XIX , construído para ser a sede da Intendência Municipal, é mais conhecido como o Palacete Azul, abriga atualmente o gabinete do Prefeito Municipal e o Museu de Arte de Belém.

Planetário Sebastião Sodré da Gama: inaugurado em 1998, é o primeiro de toda Região Norte, e considerado um dos mais modernos do país, com equipamentos vindo direto da Alemanha. Reproduz em sua cúpula 88 constelações, 7.000 estrelas, planetas, cometas, etc.

Ruínas do Engenho Murutucu:
sua construção data do século XVIII. Perdidas na mata do antigo instituto agronômico do norte, hoje EMBRAPA. A ruína está relacionada ao ciclo da cana-de-açúcar e segundo pesquisas do historiador Ernesto Cruz, era um engenho movido a vapor que fabricava cachaça e açúcar na capitania do Grão Pará, no período colonial.

Ver-o-Peso:
criado em 1688, surgiu quando os portugueses resolveram cobrar impostos de tudo que entrava e saía da Amazônia. Apesar de parecer um grande varejão, a mistura de cores, cheiros e objetos é muito interessante, além de folclórica. Ali, encontram-se ervas medicinais para banhos recomendados pelas "mandingueiras", "feiticeiras", ou "bruxas", frutas regionais dos mais diversos sabores, artesanatos, utilidades domésticas, carnes, peixes e temperos. Do complexo Ver-o-Peso, fazem parte o mercado de peixe e de carne. Ele reúne duas mil barracas e camelôs por toda parte. Hoje, o mercado é o entreposto comercial de Belém, onde barcos chegam às docas trazendo produtos do rio e da floresta, que depois serão vendidos nas barracas amontoadas no pátio junto do mercado de peixe.

Ver-o-Rio: amplo parque com equipamentos de lazer para crianças e adultos e palco nas manifestações culturais, têm sido motivo de atração para as tardes dos finais de semana da população. O Ver-o-Rio abre novos horizontes para a cidade, permitindo maior afirmação da atividade ribeirinha do belemense.

Dicas

Círio de Nazaré: a mais tradicional comemoração religiosa de Belém do Pará acontece todo segundo domingo de outubro, reunindo mais de um milhão de fiéis, que acompanham sua padroeira, num trajeto de três quilômetros pelo centro de Belém, por cerca de cinco horas.

Artesanato: não deixe de conhecer a cerâmica artesanal marajoara de José Anisio, em Icoaraci.

Pratos Típicos: a culinária paraense recebeu herança direta dos índios, conferindo uma característica tipicamente brasileira, rica em aromas e sabores. Experimente os pratos como o Pato no Tucupi e o Pirarucu no leite de coco.

Para mais informações você pode consultar o site: www.belemtur.com.br


Melhor Época

Para quem procura tranqüilidade, Belém pode ser visitado durante o ano todo, é preciso evitar a época das festas religiosas em setembro e dezembro, próximo ao Natal.
O clima em Belém é quente e úmido (a cidade é conhecida por ter chuva quase todos os dias do ano, no final das tardes). A temperatura mínima atingida na área é de aproximadamente 25°C, nas madrugadas. A temperatura máxima pode chegar perto dos 42°C, especialmente entre julho e novembro.A humidade relativa do ar está sempre em torno de 98%.

Viajante Cia Eco

Paulo Henrique e Ana Lúcia Viagem de belezas e novidades que nos deixaram muito felizes!
E ainda uma delicadeza da Denise em Marajó! ...Valeu Gustavo, valeu Cia Eco!
Obrigado e até a próxima!