EN PT
+55 11 5571-2525

Pacotes de viagens para Chapada dos Guimarães com especialistas

A apenas 50 km de Cuiabá encontra-se o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, criado em 1989 para proteger suas riquezas naturais, seus sítios arqueológicos e monumentos históricos. Aberto para visitação todos os dias da semana, permite aos seus visitantes conhecerem seus atrativos por intermédio de trilhas e do pagamento de uma taxa de entrada.

O fato de estar sobre uma das antigas placas tectônicas do planeta e abrigar o centro geodésico da América do Sul, atrai muitos esotéricos e turistas interessados no apelo místico do lugar. Além disso, há 46 sítios arqueológicos catalogados em seus 33 mil hectares de área onde foram encontrados ossos de dinossauros do período Jurássico, inscrições rupestres e pinturas feitas por antepassados.

Há 500 milhões de anos, uma camada de gelo cobria o território da chapada. Em seguida, o mar tomou conta do local, o que explica a existência de fósseis de conchas e marcas de ondas nas rochas. Com o soerguimento da Cordilheira dos Andes, a região do Pantanal afundou e a Chapada se elevou. A erosão provocada pela água e pelos ventos deu origem a grutas e esculturas naturais que podem ser vistas até hoje.

A paisagem predominante é característica de cerrado, com árvores contorcidas, uma grande variedade de espécies de flores perfumadas e centenas de ervas medicinais, muitas delas ameaçadas de extinção. A vegetação baixa facilita a observação de representantes da fauna, tais como veado-campeiro, lobo-guará, tamanduá-bandeira, emas e araras vermelhas. Nas áreas úmidas, próximas aos rios a paisagem é distinta, com matas de galeria e buritizais.

A 9 km do parque encontra-se o município de mesmo nome com hotéis, pousadas, restaurantes e centro de informações turísticas. Vale lembrar que é importante contratar um guia antes de ir para o parque. Além disso, na época da seca, de julho a novembro, a entrada do parque pode ser fechada por conta de queimadas. Informe-se ao planejar a sua viagem.

Saídas regulares

Chapada dos Guimarães - 4 dias

Caminho das Águas, Cidade das Pedras, Cachoeiras Véu da Noiva e Jatobá
Consulte novas saídas!
 
Consulte valores com nossa equipe

Chapada dos Guimarães - 7 dias

Caminhos dos Bororos, das Águas, dos Paredões e das Pedras, Morro São Jerônimo, Arvorismo, Rapel da Torre, Arco e Flecha, Tirolesa, Duck
Consulte novas saídas!
 
Consulte valores com nossa equipe

Destinos conjugados

Pantanal Norte e Chapada dos Guimarães - 5 dias

Pousada Araras Eco Lodge, Pousada do Parque
Saídas diárias até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 7.752,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Chapada dos Guimarães, Nobres e Pantanal - 6 dias

Pousada do Parque, Pousada Araras Eco Lodge
Saídas diárias até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 9.544,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019

Três Ecossistemas - 8 dias

Floresta Amazônica, Chapada dos Guimarães e Pantanal
Saídas diárias até dezembro de 2019
Valor a partir de
R$ 13.367,00 parte terrestre
Validade: dezembro de 2019
*Os preços nessa página – a partir de – estão listados em reais, dólares americanos ou euros (conforme especificação).
A taxa sobre transações/remessas internacionais (IRRF) não está inclusa no valor dos pacotes.
A tabela completa com todos os valores, de acordo com o período da viagem, encontra-se disponível em cada roteiro. Clique no título para visualizar todas as informações.
Os preços estão sujeitos à alterações sem aviso prévio. Consulte tarifas especiais para os feriados e datas comemorativas.


Principais Atrações

Cachoeira das Andorinhas: com queda de 18 metros, conhecida nos anos 80 como "Cachoeira dos Malucos", por causa dos alternativos que freqüentavam a região na época. O acesso é feito somente através de trilhas a pé. A cachoeira é linda, circundada por um paredão de rochas, onde as andorinhas podem ser vistas em certas épocas do ano.

Cachoeira do Pulo: é um local muito procurado pelos turistas que gostam de aventura. O poço profundo permite que os visitantes possam saltar do alto. A queda dágua forma uma leve corredeira, ideal para banho. É uma das primeiras cachoeiras do roteiro das águas dentro do Parque Nacional, formada pelo rio Sete de Setembro.

Cachoeira do Véu da Noiva: cartão postal da Chapada de Guimarães, a cachoeira Véu de Noiva, formada pelo rio Coxipó, com 86m de queda livre, é o principal ponto de visitação do Parque Nacional. Além da cachoeira, o vale e as escarpas do morro - formadas de arenito - aumentam a beleza do local. A cachoeira pode ser observada a partir de um mirante próximo à administração do parque. Ou por baixo, através de uma trilha íngreme, que só pode ser feita com autorização do Ibama. No local, existe um restaurante típico regional muito bem adaptado à paisagem, que oferece a famosa e tradicional "Galinhada". O ecoturista pode obter informações no centro de visitantes e comprar artesanato na lojinha do Ibama. Aberta de quarta a segunda-feira, das 09h00 as 16h30.

Caminho das Pedras: são 8 km de caminhada por um dos principais sítios arqueológicos da Chapada. Entre as atrações estão a Casa de Pedra, Jacaré de Pedra, Pedra Furada, Cogumelo de Pedra e Mesa do Sacrifício. Ainda dentro do sítio pode-se visitar o Morro São Jerônimo, o maior mirante do Parque com 836 m de altura.

Casa de Pedra: o Rio Sete de Setembro forma uma caverna de arenito chamada Casa de Pedra que já serviu como cenário de abertura de uma novela da TV Globo. Compõe uma seqüência de cachoeiras chamada de Caminho das Águas.

Caverna Aroe Jari e Lagoa Azul: com 1.400 m de extensão, a caverna é uma das maiores de arenito do Brasil e pode ser visitada. Em uma de suas extremidades encontra-se a Lagoa Azul, uma piscina natural de água azul cristalina. O acesso é pela estrada para Campo Verde e a trilha até a caverna dura cerca de uma hora.

Centro Geodésico da América do Sul: localizado ao lado de Várzea Grande, é a passagem para o maravilhoso santuário ecológico do Pantanal, a fascinante Chapada dos Guimarães , os surpreendentes e instigantes Vales do Araguaia, do Guaporé e Nortão de Mato Grosso. Como centro do Centro Oeste Brasileiro e corredor de acesso rodoviário para a região Norte do Brasil, proporciona encantamento através da sua gente receptiva, sua culinária, artesanato e um pouco da história de "desbravamento" do interior do Brasil.

Cidade de Pedra: cânion formado por imensas paredes de arenito vermelhas, de 350m de altura. No topo, as formações rochosas lembram ruínas de uma cidade, onde planam araras-vermelhas. Atenção: este atrativo encontra-se fechado para visitação, sem previsão de reabertura. Consulte-nos no momento da reserva.

Igreja de Santana do Sacramento: na região central da cidade de Chapada dos Guimarães esse monumento histórico foi construído em 1779 por escravos da região. Completamente em estilo barroco, possui o altar pintado de ouro e ainda conservado.

Morro São Jerônimo:  é alcançado a partir da estrada de terra dentro do parque, por onde transita-se de carro sem maiores dificuldades, passando por formações rochosas até sua base (vale a pena sair um pouco do caminho e conhecer o Chapéu de Pedra, por exemplo). Deixa-se o carro em meio ao cerrado e segue-se por uma trilha ingreme, de quase uma hora, até o topo. A vista do alto é das mais exuberantes da chapada, podendo-se ver na planície ao longe a silhueta de Cuiabá, quando não há queimadas poluindo o ar com fumaça. Aberto para visitas de quinta a segunda-feira, permitidas somente com o acompanhamento guia credenciado e agendamento prévio.

Portão do Inferno: deste mirante pode-se ver a Cidade de Pedra. O fato mais curioso desta atração é que ao subir a serra (antes da curva do portão) se você parar o carro em ponto morto ele sobe ao invés de descer. 

Rafting em Jaciara: situada no estado de Mato Grosso a cerca de 150km de Cuiabá, com aproximadamente 21 mil habitantes, é um dos pontos de atração para os praticantes de canoagem, rapel e rafting devido ao grande número de cachoeiras e corredeiras em seus rios. Jaciara possui uma infraestrutura, composta por hotéis-fazenda e vários balneários (Rocha, Thermas, Rafting Park, Paraíso das Águas). As principais atrações são as cachoeiras da Fumaça e a dos Hippies, as corredeiras do rio Tenente Amaral, as cavernas de arenito (Chora e Perdidas), algumas com inscrições rupestres.

Dicas

Gastronomia: experimente o prato típico da região, a galinhada. Você pode conferir no restaurante próximo à Cachoeira Véu de Noiva.
 
Banco: serviços disponíveis na região: Banco do Brasil e Bradesco.
 
Hospital: há um hospital localizado no centro da cidade, com infra-estrutura adequada.

Voltagem: voltagem da cidade: 110 V. 
 
Trekking ao Morro de São Jerônimo: você que gosta de longas travessias e aventuras diferentes, não deixe de fazer o trekking ao Morro São Jerônimo e, se possível, fique até o pôr-do-sol. O visual é fantástico.
 
Agito: se você gosta de curtir agito, escolha o período de julho, quando acontece o festival de inverno, com vários shows e apresentações. Reserve o pacote com bastante antecedência, pois todos os hotéis ficam lotados.   


Melhor Época

O período mais indicado é entre maio e setembro, depois das águas de verão. As cachoeiras estão cheias e o cerrado florido. De agosto a outubro, a visita nos Cânions da Cidade de Pedra está proibida pelo Ibama por prevenção de incêndio no parque.

Viajante Cia Eco

Larissa e Leonardo Eu AMEI a viagem todos os passeios, cada um com sua beleza foi super a minha cara indico para pessoas que gostam de fazer trilha porque a necessidade de ter um bom preparo físico para as caminhadas...