EN PT
+55 11 5571-2525

Pacotes de viagens para Tunísia com especialistas

A Tunísia, separada do Marrocos pela Argélia, tem 1.300 Km de praias e pequenas ilhas espalhadas pelo litoral. É um país de grande beleza cênica e mais de 3.000 anos de história, desde a fundação de Cartago, em 814 a.C.

O território foi ocupado por muitos povos: passou pelo domínio dos romanos, bizantinos, árabes e franceses, cujas influências são percebidas nas construções, algumas delas ainda intactas, como a fantástica antiga colônia de Sufetula que se situa na cidade de Sbeitla. A capital Tunis é o ponto de partida para se explorar o país.

Por todas as cidades, encontram-se medinas e mesquitas de beleza incomparáveis, além de monumentos romanos como o segundo maior coliseu romano, de Eljem. Existem cidades prósperas no deserto do Saara, como Tozeur e Nefta, e belas praias mediterrâneas com plantações de palmeiras podem ser experimentadas na ilha de Djerba

Saídas regulares

Tunísia - Praia em Hammamet - 7 dias

Hotel Vincci Lella Baya Hammamet
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe

Tunísia - Praia na ilha de Djerba - 7 dias

Hotel Vincci Lella Baya
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe

Tunísia - Guia Espanhol - 8 dias

Douz, Tozeur, Souisse, Tunis
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe

Tunísia - 11 dias

Tunis, Le Bardo, Cartago, Sidi Bou Said, Sousse, El Djem, Mahdia, Monastir, Kairouan, Tozeur, Sbeitla, Hammamet, Nabeul, Kerkouane, El Haouaria, Kelibia
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe

Tunísia - Cultura, Praia e Deserto - 14 dias

Cartago, Djerba, Douz, El Djem, Kairouan, Ksar Ghilane, Ksar Hdada, Le Bardo, Mahdia, Monastir, Sidi Bou Said, Sousse, Tozeur, Tunis
Saídas em datas específicas
 
Consulte valores com nossa equipe

Destinos conjugados

Tunísia e Marrocos - Guia em espanhol - 15 dias

Tunes, Tozeur, Sphax, Djerba, Rabat, Marrakech, Fez, Casablanca
Saídas aos sábados até fevereiro de 2020
Pagamento em 10x
Valor a partir de
US$ 2.725,00 parte terrestre
Validade: fevereiro de 2020
*Os preços nessa página – a partir de – estão listados em reais, dólares americanos ou euros (conforme especificação).
A taxa sobre transações/remessas internacionais (IRRF) não está inclusa no valor dos pacotes.
A tabela completa com todos os valores, de acordo com o período da viagem, encontra-se disponível em cada roteiro. Clique no título para visualizar todas as informações.
Os preços estão sujeitos à alterações sem aviso prévio. Consulte tarifas especiais para os feriados e datas comemorativas.


Principais Atrações

Tunis: a capital do país é uma cidade litorânea do Mar Mediterrâneo, moderna pelas suas novas construções, como o Monumento de 7 de Novembro, um marco rumo ao progresso tunísio, e antiga, como pode ser visto na sua medina ainda preservada. Assim que são passados a Catedral, a estátua de Ibn Khladoun e seus portões, um labirinto de ruas estreitas se abre e séculos passam diante dos olhos dentro dessa medina, como se fosse um museu a céu aberto. Tapetes, oliveiras, ornamentos, joalheria, de tudo pode ser encontrado nos mercados internos. Lá, estão a Mesquita da Oliveira – Ez Zitouna, no coração da Medina, tão antiga ela própria; o museu Dar ben Abdallah, abrigado em um palácio do século XVIII; além de centros culturais, restaurantes e agências do governo, que antes eram antigas residências de ricos mercadores. No subúrbio da cidade, encontra-se o Museu Bardo, um antigo palácio do século XIII que foi sendo expandido e restaurado até se tornar uma pérola da arquitetura muçulmana – a maior coleção de mosaicos romanos do mundo encontra-se neste museu, bem como exposições de artefatos relacionados às várias épocas do país: pré-histórica, fenícia, cristã, romana e moura.

Hammamet: localizada a 64 Km de Tunis, é conhecida como a “Sain Tropez da Tunísia”, um balneário visitado para o descanso. Esta cidade foi vítima outrora de um grande ataque de Cavaleiros de Malta, disfarçados de muçulmanos na época das cruzadas. Hoje, a invasão é a de turistas europeus, durante o ano todo. A medina da cidade é cercada de rampas e em seu interior fica um forte com vistas para o mar.

Sousse: 140 Km ao sul de Túnis, fica a “Pérola do Sahel”, uma cidade de praia mediterrânea com grande movimento e um antigo porto comercial fenício. O Porto El Kantaoui e a medina da cidade são o que há de melhor para se visitar.

Monastir: 24 Km a leste de Sousse, fica esta bela cidade praiana, onde encontra-se o Mausoléu da Família Borguiba, e um belo monastério fortificado, construído em 797 d.C. para proteger a cidade de ataques bizantinos e estrangeiros, com a torre Ribat, despontando na paisagem da orla junto com os hotéis e a marina, que ficam nas proximidades. Dentro do monastério, está hospedado um agradável museu de artes e artefatos islâmicos.

Kairouan: 160 Km ao sul de Túnis, é casa espiritual dos tunísios e cidade santa, conhecida como "cidade das 50 mesquitas”. Segundo a tradição muçulmana, visitá-la por sete vezes equivale a uma peregrinação a Meca. Os kairaouaneses são os melhores fabricantes de tapetes da Tunísia. Foi capital do país em 668, principalmente por tratar-se de ponto estratégico como entreposto comercial (Kairaouan significa Caravana). A Grande Mesquita impera no centro da cidade, revigorada após sua destruição por Beni Hilal em 1057 d.C. – sua soberana presença de quase 13 séculos tem inspirado poetas e artistas desde a sua criação. Dentro, visitantes podem se maravilhar com as portas de madeira entalhada, arabescos e com as 400 colunas da sala de oração. A cidade velha (medina) com seus muros e portais monumentais abriga várias mesquitas e fábricas de tapetes – Kairouan é a mais conhecida produtora de tapetes do país (como garantia de que o tapete passou pelo teste de qualidade do governo, eles levam um selo de qualidade, pelo qual é possível saber se é de boa procedência).

El Jem: está situada 205 Km a sudeste de Túnis, no interior do país, outrora região agrícola romana para a produção de azeite. Lá, está o 2º maior coliseu romano do mundo. A vantagem é poder vê-lo praticamente inteiro. Os jogos celebrados deram lugar a orquestras e artistas. A vista interna é impressionante e é possível ver também o local onde os cristãos ficavam encarcerados junto com os leões. Os romanos o construíram no ano 230 d.C. e seus muros foram danificados pela primeira vez em 1695 pelo governador Mohamed Bey, para acabar com uma rebelião.

Matmata: 450 Km ao sul de Túnis, suas casas e mesquitas remetem a uma paisagem lunar, com palmeiras e mais de 700 poços abertos pelos berberes que, como os romanos de Bulla Regia, construíram suas casas subterrâneas para proteção contra o forte calor, que consistem de túneis de 5 a 10 metros de profundidade do solo, em labirintos de pequenos quartos, estoques de comida e bens familiares, interconectados por passagens estreitas. Do esplendor da cidadela de Ksar Jouma, tem-se uma vista de toda a região.

Tozeur: 450 Km a sudeste de Túnis, essa cidade é conhecida pela sua prosperidade. Tudo na cidade é grandioso: sua produção de tâmaras; a medina (construída no século XIV), que abriga um fantástico museu, erguido no autêntico estilo dos palácios tunísios, o Jardim Botânico, as suas 200.000 palmeiras e a rua principal, apinhada de lojas e bazares. Possui uma grande quantidade de construções que utilizam ladrilhos em seus muros e grades de ferro com arabescos.

Nefta: 23 Km a oeste de Touzeur, a população dessa cidade supera a vida no deserto com o oásis que se vê do Hotel Sahara. São centenas de milhares de palmeiras e árvores frutíferas, que, no seu término, ao norte do oásis, encontram água corrente. Do oásis, saem passeios até os outros oásis de Chebika, Tamerza e Mides, com seu canyon junto à fronteira com a Argélia.

Douz: a 117 Km de Tozeur, é o centro da tribo nômade de Mrazig. Possui um mercado pitoresco e o principal passeio é feito em dromedários pelo deserto. Antes da sua descoberta por visitantes estrangeiros, toda quinta-feira (o dia de mercado), nômades de várias regiões se encontravam para a troca de camelos, cavalos e mercadorias. De lá, partem safáris pelo Saara a partir do Grande Erg Oriental.

Sbeitla: lá se encontram as fantásticas ruínas romanas de Sufetula, colônia romana construída no século I. Mais tarde, foram erigidas ali basílicas cristãs (séc. IV) e os árabes tomaram a cidade, no ano de 647 d.C. Estas são as mais bem preservadas ruínas da Tunísia. Os templos dedicados a Júpiter, Juno e Minerva continuam intactos, bem como o arco de Diocleciano.

Ilha de Djerba: 513 Km ao sul de Túnis, fica esta “Polinésia do Mediterrâneo”, salpicada de palmeiras a se perder de vista. As primeiras notícias de Djerba veem do tempo de Ulisses, que, depois da partida de Tróia, teria chegado à ilha e se deparado com habitantes felizes que se alimentavam de flores de lótus. Sua bela sinagoga de Ghirba, as praias de areia fina da orla são o ponto alto da visita. As porcelanas de Guellala ainda produzidas pelos artesãos locais, o centro da ilha, Houmt Souk, os esportes náuticos, mergulhos, tudo isso torna Djerba um local especial.

Gabes: último povoado com praia a caminho do sul, com seu oásis costeiro e suas impressionantes 300.000 palmeiras, que ocupam uma área de 10 Km². Este antigo centro comercial fenício e romano é também famoso por ser o local de nascimento de Sidi Boulbaba, barbeiro de Maomé, que construiu a primeira mesquita do local no ano de 680 d.C.


Melhor Época

A melhor época para visitar os países do norte da África é no inverno e na primavera (de meados de outubro até maio), apesar do período coincidir com a alta temporada. Quanto mais ao sul nesses países, maior a amplitude térmica diária: durante o dia, é muito quente, e à noite, frio.

O verão é desconfortável para visitar localidades históricas e pode ser melhor aproveitado na região litorânea, como na Tunísia, onde se encontram as famosas praias de areia branca. A temperatura varia de 34º C, em agosto, a 12º C, em janeiro.

Viajante Cia Eco

Consuelo Meus agradecimentos à Cia Eco, em especial a vc, pela gentileza e simpatia dispensada a mim nestes meses.