EN PT
+55 11 5571-2525

Pacotes de viagens para Camboja com especialistas

Um verdadeiro mergulho na história da humanidade, o Camboja é um país do sudeste asiático, pertencente à antiga colônia francesa da Indochina, e que faz fronteira com Vietnã, Laos e Tailândia. O Camboja brilha com os templos antigos, suas preciosas relíquias arqueológicas, construções esculpidas em meio a florestas e belos templos budistas que decoram o país. Terra de pessoas amáveis e de bem com a vida, o Camboja desperta uma sensação do novo desconhecido.

Siem Reap é a base para visitar as relíquias de Angkor, repleta de prédios de inspiração francesa e de templos budistas, a cidade tem galerias de arte, marcados interessantes e bons restaurantes. Os templos de Angkor são monumentos incomparáveis em escala de grandeza no sudeste da Ásia, são 41 templos e os mais famosos Angkor Wat, Bayon Temple - com suas mais de 200 faces esculpidas e 54 torres, Banteay Srey, Bantey Samre, Phrah Khan, Neak Pean,– e o Ta Prohm - Jungle Temple. Vale destacar que foi sede do império Khmer, que governou a região até o século 13.

As praias do Camboja ainda são pouco conhecidas, porém uma boa alternativa às praias da Tailândia, Sihanoukville e as ilhas ao redor garantem descanso em meio à natureza tranquila.

Promocional

 
Consulte valores com nossa equipe

Destinos conjugados

Camboja e Laos - 7 dias

Siem Reap, Luang Prabang
Saídas diárias até março de 2025
Pagamento em 10x
Valor a partir de
US$ 3.741,00 parte terrestre
Validade: março de 2025

Indochina - Vietnã e Camboja - 12 dias

Siem Reap, Ho Chi Minh, Hoi an, Hue, Hanói, Halong Bay
Saídas diárias até março de 2024
Pagamento em 10x
Valor a partir de
US$ 2.874,00 parte terrestre
Validade: março de 2024

Indochina - Laos, Vietnã e Camboja - 16 dias

Luang Prabang, Hanói, cruzeiro na Baía de Halong, Hoi An, Hue, Ho Chi Minh, Siem Reap
Saída aos domingos até março de 2024
Valor a partir de
US$ 2.090,00 parte terrestre
Validade: março de 2024

Tailândia, Vietnã, Camboja, Cingapura e Bali - 17 dias

Bangkok, Chiang Rai, Chiang Mai, Hanoi, Halong, Siem Reap, Cingapura, Ubud, Nusa Dua
Saídas às quintas-feiras até outubro de 2024
Valor a partir de
US$ 5.777,00 parte terrestre
Validade: outubro de 2024

Indochina - Tailândia, Laos, Camboja e Vietnã - Privativo - 17 dias

Bangkok, Luang Prabang, Hanói, Halong Bay, Hoi An, Hue, Ho Chi Minh, Siem Reap
Saídas diárias até outubro de 2024
Guia em espanhol
Valor a partir de
US$ 4.984,00 parte terrestre
Validade: outubro de 2024

Indochina - Vietnã, Camboja e Laos - 18 dias

Hanói, Halong Bay, Hue, Hoi An, Ho Chi Minh, Phnom Penh, Siem Reap e Luang Prabang
Saídas em datas especificas até outubro de 2024
Valor a partir de
US$ 3.935,00 parte terrestre
Validade: outubro de 2024

Sudeste Asiático - 22 dias

Hanói, Halong, Hoi An, Hue, Ho Chi Minh, Siem Reap, Bangkok, Yangon, Bagan, Madalay, Lago Inle
Saídas diárias
 
Consulte valores com nossa equipe
*Os preços nessa página – a partir de – estão listados em reais, dólares americanos ou euros (conforme especificação).
A tabela completa com todos os valores, de acordo com o período da viagem, encontra-se disponível em cada roteiro. Clique no título para visualizar todas as informações.
Os preços estão sujeitos à alterações sem aviso prévio. Consulte tarifas especiais para os feriados e datas comemorativas.


Viajante Cia Eco

Paulo Amendola A viagem foi ótima, o sudeste asiático me surpreendeu agradavelmente.
Primeiramente, a Tailândia é muito mais organizada e estruturada do que eu pensava. Os templos são muito bonitos, a comida é sensacional, leve, saborosa

Principais Atrações

Parque Arqueológico de Angkor: tombado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade, é razão para a maioria dos turistas passarem pelo Cambodja. Nesse complexo, floresceu uma das mais importantes civilizações orientais, que reinou durante seis séculos - do IX ao XV. A palavra Angkor deriva do sânscrito e significa cidade. Na área compreendida pelo parque, ficam centenas de construções, algumas intactas, como o Angkor Wat, principal templo visitado, e Phnom Bakheng, o primeiro templo construído, no alto de uma colina, até escombros de tijolos em meio a campos de arroz. As visitas podem ser feitas à pé, em elefantes ou de bicicleta.

Angkor Wat:
 localizado em uma área de 81 hectares e comparado à Cidade Proibida em Pequim, foi construído entre 1113 e 1150, pelo rei Suryavarman II, e forma um complexo de templos, desenhados para representar o Monte Meru, a morada dos deuses, segundo a mitologia hinduísta. Hoje, permanece intacto. A parede externa se estende por 3,6 Km e, diferente de outros templos da área, pois tem sua construção voltada para o oeste, significado ainda não desvendado.
Templo Bayon: construído para abrigar o templo oficial do budismo mahayana, entre os séculos XII e XIII, impressiona pela decoração externa, de 54 torres de blocos de pedra rebuscados em forma de Budas, ao qual o rei Jayavarman VII prestou reverência em sua fundação e, posteriormente, a divindades hindus, dependendo do rei que tomava posse. O templo fica dentro de Angkor Thom, a cidade de onde Jayavarman VII governava. Destoa da arquitetura de Angkor Wat, tida como mais comportada.
Phnom Penh: a capital do Reino de Cambodja, situada na confluência de três grandes rios - o Mekong, o Bassac e o Tonle Sap, divide-se em três áreas: a parte norte, residencial, de colonização inglesa; a parte sul, de colonização francesa; e a parte central, com seus mercados, lojas e caminhos estreitos peculiares. Possui 1 milhão de habitantes, dos 11,4 milhões cambodjanos do país, e é também o portão de entrada para se conhecer as outras cidades e regiões. Como qualquer outra cidade turística asiática, tem sofrido rápidas transformações nos últimos anos. Visite em Phnom Penh:

Palácio Real: construído em 1866, a residência do rei de Cambodja, sua família e hóspedes dignatários estrangeiros serviu como centro de cerimônias e rituais da corte cambodjana. Hoje, é o rei Norodom Sihamoni quem vive no prédio principal. O complexo do palácio e da Pagoda Prateada consistem de várias estruturas e jardins, todos localizados em uma área murada de 400.000 m² com vistas para um parque e um lago. Exceto pela residência real - o palácio Khemarin, a maior parte do térreo dos outros palácios e a Pagoda Prateada estão abertos ao público.

Pagoda Prateada:
 próxima ao Palácio Real, é separada por um caminho murado, dentro do complexo de construções reais. Seu nome é uma alusão aos 5.000 ladrilhos de prata que recobrem o chão da pagoda. O complexo do templo inclui várias outras construções, dentre as quais ele figura como o principal. A pagoda tem um significado especial: abriga as cerimônias em que o rei escuta os sermões dos monges junto de sua corte.

Museu Nacional: foi construído em 1920, dedicado ao rei Sisowath. Está localizado próximo ao Palácio Real. Mais de 5.000 objetos estão à mostra, incluindo estátuas angkorianas e a lendária estátua do Rei Leper. Apesar da ênfase da mostra serem as relíquias angkorianas, existe uma boa coleção de peças de períodos posteriores da história do Cambodja, incluindo figuras de Buda. A visita é mais indicada para quem já foi ao Parque Arqueológico de Angkor, em Siem Reap. Os guias locais são multilíngues.

Wat Phnom: o templo fica em uma pequena colina que marca a fundação lendária de Phnom Penh (Phnom quer dizer colina e Penh foi seu criador – Wat Phnom significa Templo da Colina). A lenda conta que em 1372 a Dama Penh mandou que uma árvore que flutuava no rio fosse capturada. Dentro da árvore foram encontradas 4 estátuas de Buda. Ela, então, mandou que fosse construído um pequeno templo – este ficou conhecido como Wat Phnom. Mais tarde, a área do entorno ficou conhecida como Phnom Penh (A colina de Penh). Tornou-se, então, um local de constante visitação, principalmente pela sua importância histórica. O templo foi reconstruído em 1926.
 
Siem Reap: situada entre campos de arroz ao longo do Rio Siem Reap, essa pequena capital provinciana é conhecida por dar entrada às ruínas do antigo império Khmer, localizadas no Parque Arqueológico de Angkor, antiga capital desse império milenar. A cidade também exibe um Museu de Guerra, onde um guia, que é prova viva dos seus efeitos no país, dá aulas aos visitantes. A cidade é um bom local para fazer caminhadas (ao longo do Rio Siem Reap), passeios de bike, inclusive até as ruínas, de tuk-tuk (podem ser alugados) e para relaxar também. Não deixe de visitar, uma vez em Siem Reap:

Mercados da cidade: uma visita aos mercados e seus corredores é um grande atrativo para quem deseja conhecer a produção local de alimentos, confecções têxteis, antiguidades e jóias em prata e ouro – o melhor lugar para se fazer essas compras é no Tuol Tom Poung, também conhecido como o Mercado Russo. As iguarias e especialidades culinárias cambodjanas podem ser provadas no Mercado Central da cidade.

Dicas

Vacina: é obrigatório apresentar o comprovante internacional de vacina contra febre amarela. Além disso, recomenda-se tomar também as vacinas contra Hepatite A (em duas doses, sendo que ao tomar a primeira, a pessoa já estará imune), disponível em clínicas particulares; e contra tétano e febre tifóide, disponíveis nos Hospitais Emílio Ribas, Hospital das Clínicas e Ambulatório de Medicina do Viajante da Vila Clementino. É importante informar que as vacinas devem ser tomadas com antecedência - no caso de febre amarela, até 10 dias antes da viagem - para não ser surpreendido com a falta de alguma delas na ocasião da procura nos hospitais.

- Hospital Emílio Ribas: Av. Dr. Arnaldo, 165. Atendimento de Seg. a Sex., das 12h30 às 15h. Agendar: 55 (11) 3896 1366.
- Hospital das Clínicas: Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255. Atendimento de Seg. a Sex., das 07h30 às 15h.

Importante: Desde o dia 1º de junho de 2008, as vacinas contra febre amarela NÃO são mais aplicadas nos postos da Anvisa em Aeroportos e Portos do Estado de São Paulo. Nestes locais serão realizadas somente trancrições de certificados nacionais para internacionais. Para mais informações e esclarecimento de dúvidas,dirija-se ao posto de saúde mais próximo ou consulte o Ambulatório de Medicina do Viajante: 55 (11) 5084-5005, na Avenida Borges Lagoa, 770. É importante ligar para agendar uma visita.
Em São Paulo, o passageiro pode dirigir-se aos postos localizados nas Rodoviárias do Tietê (aberto diariamente, das 8h às 22h) e Barra Funda (aberto diariamente, das 8h às 20h).


Melhor Época

Assim como a maioria dos países que compõem a região do sudeste asiático, Cambodja é quente ao longo do ano e o clima é dominado pelo regime de monções, com duas estações bem definidas: uma seca e a outra, chuvosa. 

De novembro a fevereiro, a estação é fresca e seca, com as temperaturas médias na casa dos 20°C (em meados de novembro, as moções já deixaram a região). Essa é época ideal para visitar o país: dias quentes, céu aberto, sem chuvas e tardes frescas.

Entre março e maio, a estação é quente e seca, portanto o nível dos rios e lagos é baixa, fazendo com que viagens de barco ou ferryboat sejam mais difíceis de se empreender.

Nos meses de junho a agosto, o tempo é quente e úmido, com a chegada das monções no final de maio - é o verão. As chuvas são previsíveis e se concentram principalmente na parte da tarde e à noite – duram algumas horas, mas param e é possível sair com tranqüilidade, pois já se sabe que é a chuva do dia. Os templos são mais bem aproveitados durante a estação chuvosa, quando a selva está exuberante e suas piscinas estão cheias, refletindo os monumentos. As viagens de barco são mais fáceis de serem empreendidas, porém as estradas tendem a ficar intransitáveis e deterioradas. Na costa do país, as chuvas de monções podem durar dias.

Entre setembro e outubro, o tempo é fresco e úmido. Em setembro, as temperaturas beiram os 30°C e pouco a pouco caem, no decorrer dos meses seguintes. As chuvas ainda são intensas e regulares, mas em outubro elas estão perto de cessarem por completo.